Calvície masculina

A queda de cabelo pode ocorrer por vários motivos. Existe uma queda natural do cabelo a cada dia que pode causar a calvície masculina. Ou seja, é normal perdemos alguns fios de cabelo por dia, sem que isso faça com que um indivíduo fique calvo. A quantidade de fios perdidos varia de indivíduo para indivíduo, porém acredita- se que seja uma média de 100 fios diariamente. A calvície é a perda capilar progressiva, levando a formação de áreas com diminuição ou ausência de cabelo.

O fio de cabelo é uma estrutura complexa e não é formado apenas pelos fios. É formado pelo folículo piloso (a raiz do cabelo), pela glândula sebácea e por um músculo que é responsável pela ereção do fio (arrepio). O conjunto formando por essas estruturas recebe o nome de unidade folicular.

A unidade folicular é a estrutura básica do cabelo e pode conter de um a quatro fios. Para um implante capilar ter um resultado natural é fundamental que a cirurgia capilar seja realizada implantando unidade folicular por unidade folicular.

O cabelo possui três fases de desenvolvimento:

Anágena: É a fase em que o fio de cabelo cresce – A maior parte dos fios de cabelo está nesta etapa (90%), Nessa fase ocorre uma grande divisão das células e uma atividade de formação de queratina que promove o surgimento de um novo fio. O fio de cabelo cresce em média um centímetro por mês.

Catágena: É uma curta fase de transição que ocorre no final da fase anágena. Corresponde ao final da fase de crescimento ativo do cabelo. Esta fase dura cerca de 2-3 semanas, durante a fase catágena o folículo piloso encolhe a cerca de 1/6 do comprimento normal.

Telógena: A fase de repouso que segue a fase catágena dura normalmente cerca de 5-6 semanas. Durante este tempo o cabelo não cresce, mas permanece unido ao folículo enquanto a papila dérmica permanece numa fase de repouso. Aproximadamente 10-15 por cento de todos os cabelos estão nesta fase. É nesse período da fase de vida do cabelo que a haste (fio) se desprende e inicia o crescimento de um novo fio.

A principal causa de calvície masculina é genética

A principal causa de queda de cabelo é genética. Esse tipo de perda capilar apresenta característica hereditário sendo dominante nos homens e recessivo nas mulheres. Essa característica hereditária pode estar presente no lado materno, paterno ou em ambos, e o aparecimento da queda de cabelo depende do sexo. Assim, esse tipo de queda de cabelo é muito mais comum em homens, em torno de 60 a 75 %%, do que mulheres, cerca de cinco a onze por cento.

A calvície genética começa a se manifestar por volta dos vinte a trinta anos. Isto devido ao aumento da quantidade de hormônio durante a puberdade.

O hormônio responsável pela queda de cabelo é um hormônio chamado dihidrotestosterona, que é um derivado da testosterona. Os pacientes que possuem calvície genética apresentam os receptores de dihidrotestosterona alterado, logo quando o hormônio se liga no receptor o que ocorre é atrofia progressiva do cabelo. Essa atrofia, ou afinamento, recebe o nome de miniaturização, onde o fio de cabelo se torna cada vez mais fino, claro e curto, até sua atrofia completa. Note que as pessoas que possuem calvície genética não possuem nem mais, nem menos hormônio, o que está alterado é o receptor onde o hormônio se liga.

Na calvície genética a queda de cabelo não leva a perda capilar completa, ou seja, por mais calvo que o indivíduo seja, os cabelos das regiões laterais e posterior da cabeça permanecem. Isto ocorre devido à presença dos receptores de dihidrotestosterona ser concentrada na região anterior da cabeça e na coroa e por não existir receptor de hormônio nas regiões laterais e posterior da cabeça. Assim os cabelos dessas regiões são “imunes à calvície”, e podem ser utilizados para uma cirurgia de implante capilar.

Classificação da calvície masculina

Existem vários padrões de calvície, que podem variar conforme a intensidade da calvície e a região de apresentação. Abaixo veja com a calvície genética é classificada conforme a intensidade da perda capilar.