Queda de Cabelo

 Existem vários tipos de queda de cabelo, porém é importante diferenciar “queda de cabelo” de “quebra do cabelo”.

 “Quebra de cabelo”

Tratamento capilar, escovas, usa de produtos de baixa qualidade, exposição solar excessiva são situações que podem levam ao ressecamento dos fios de cabelo levando a quebra do mesmo. Assim, uma quebra acentuada dos fios de cabelos geram uma diminuição da densidade de fios e assim confundir com uma queda de cabelo.

 Causas de queda de cabelo

 Alopecia androgenética: queda de cabelo de origem genética

Está é a principal causa de calvície. Esse tipo de queda de cabelo é muito mais comum em homens que mulheres.

Ocorre devido uma alteração nos receptores de dihidrotestosterona (DHT) localizados no couro cabeludo. Aqueles que possuem esse tipo de queda de cabelo não possuem nem mais, nem menos hormônios que os outros indivíduos.

O problema está no fato que quando o hormônio em questão se liga em seus receptores localizados no couro cabeludo, há um processo de atrofia progressiva dos fios de cabelos, o que leva a calvície.

No entanto, esses receptores de hormônio não estão localizados em todo o couro cabeludo. Concentram-se na região anterior da cabeça e na coroa. É por esse motivo que os cabelos localizados na região posterior e lateral são preservados.

Eflúvio telógena:

O cabelo possui três fases de desenvolvimento:

Anágena: É a fase em que o fio de cabelo cresce – As maiores partes dos fios de cabelo estão nesta etapa (90%), Nessa fase ocorre uma grande divisão das células e uma atividade de formação de queratina que promove o surgimento de um novo fio. O fio de cabelo cresce em média um centímetro por mês.

Catágena: É uma curta fase de transição que ocorre no final da fase anágena. Corresponde ao final da fase de crescimento ativo do cabelo. Esta fase dura cerca de 2-3 semanas, durante a fase catágena o folículo piloso encolhe a cerca de 1/6 do comprimento normal.

Telógena: A fase de repouso que segue a fase catágena dura normalmente cerca de 5-6 semanas. Durante este tempo o cabelo não cresce, mas permanece unido ao folículo enquanto a papila dérmica permanece numa fase de repouso. Aproximadamente 10-15 por cento de todos os cabelos estão nesta fase. É nesse período da fase de vida do cabelo que a haste (fio) se desprende e inicia o crescimento de um novo fio.

Algumas situações podem fazer com que os fios de cabelo mudem de fase em seu ciclo de vida, levando ao aumento do número de fios na fase de desprendimento (fase telógena). As principais causas de eflúvio telógena são: traumas físicos e ou psicológicos, estresse, após o parto, a mudança ou mesmo a interrupção da reposição hormonal ou anticoncepcional oral, febre alta, pós-operatório, problemas na tireoide, deficiências     de nutrientes e dietas radicais.

 Alopecia Areata

Esse tipo de queda de cabelo acomete homens e mulheres em igual proporção, se caracterizando pela queda de cabelo de maneira rápida e sem que haja qualquer alteração da pela da região.  

A principal hipótese desse tipo de queda de cabelo é que fatores genéticos associados com fatores ambientais, como estresse levem a perda capilar através de uma destruição do cabelo por mecanismos autoimunes.

Nesse tipo de queda de cabelo também não está indicado o implante capilar, já que, com o tratamento adequado o cabelo tem grande chance de voltar a crescer.

 Tricotilomania

Tricotilomania é uma doença em que o paciente apresenta a compulsão de arrancar os fios de cabelo com o objetivo de controlar o nervosismo e ansiedade. A tricotilomania acomete com maior frequência as mulheres e sua causa ainda não é bem estabelecida.

Geralmente o paciente enrola os fios de cabelo nos dedos antes de arrancar, e após arrancá-lo não é raro examinar a raiz do cabelo e ainda, comer o fio. (Tricofagia).

Os cabelos arrancados podem ser do couro cabeludo, cílios ou mesmo sobrancelhas.

O tratamento é feito com objetivo de controlar a ansiedade ou mesmo a depressão que pode estar associado. Não é indicado o implante capilar para esse tipo de queda de cabelo, já que o indivíduo pode vir a arrancar os fios novamente.